contador de visitas

Jogadores no sector da criptografia juntam-se à polícia da UE para combater o branqueamento de capitais

Guerra contra o uso de Criptomoedas para lavagem de dinheiro na Europa ganhou força depois que a agência de aplicação da lei da região se uniu a grandes bolsas de valores, processadores de pagamentos e até mesmo provedores de carteira digital. Os dois grupos participaram do seminário de três dias sobre Criptomoedas e cibercrime que começou na terça-feira em Haia.

O uso de criptocorrências no cibercrime

CibercriminososCriptomoedas tornaram-se muito populares nos últimos tempos, por boas e más razões. As moedas ajudaram a reduzir os custos de transação e a duração, o que é uma boa notícia para os traders internacionais. Além disso, eles ajudaram a superar os inconvenientes causados ​​pelos governos ao movimentar o dinheiro. A tecnologia usada nessas moedas virtuais suporta transações sem revelar identidade.

Embora as criptomoedas tenham ganho aceitação em vários lugares; casos de hackers afetaram negativamente sua popularidade. Muitos investidores, bolsas de valores e outros participantes perderam moedas virtuais no valor de bilhões de dólares, com alguns sendo forçados a declarar falência. Apesar do fato de que essas moedas vêm com alguns recursos de segurança, eles podem ser facilmente rastreados. No entanto, algumas moedas digitais, como Monero e Zcash, são difíceis de rastrear. Muitos criminosos gostam de usar essas moedas como localizá-los é impossível.

"Rastreamento e Atrito"

Agência da União Europeia para a Cooperação Policial (Europol) anunciou que a conferência discutirá "rastreamento e atrito" de moedas virtuais. Além disso, a reunião discutirá métodos para interromper os serviços de ocultação da fonte de recursos. O foco aqui serão os misturadores de moedas.

O Financial Times citou o porta-voz da Europol dizendo que a conferência discutirá o aumento do uso de Criptomoedas por atividades ilegais. Aqui, os participantes identificarão as principais atividades ilegais que usam essas moedas. Eles então discutirão por que a maioria das pessoas envolvidas em atividades ilegais prefere as moedas virtuais.

A conferência também discutirá maneiras que podem ser usadas para melhorar as capacidades dos agentes de segurança. É verdade que os agentes de segurança não podem vencer esta guerra sem o apoio dos participantes. É somente trabalhando em conjunto que as criptomoedas podem se tornar mais seguras não apenas para os clientes, mas também para os principais players e para toda a indústria. Um ecossistema de moeda virtual mais seguro é necessário para todos os participantes do setor, pois pode aumentar a absorção das Criptomoedas.

Enfrentando o Branqueamento de Capitais

Alguns dos participantes propuseram a criação de um livro centralizado que registrará e bloqueará os endereços identificados pelas autoridades. Tal movimento permitirá que os provedores de serviço recebam notificações automáticas e restrinjam que esses usuários troquem a Crypto por decreto. Quando esta proposta for implementada, ela desempenhará um papel importante no combate à lavagem de dinheiro, especialmente para reincidentes.

Esta não é a primeira tentativa de abordar lavagem de dinheiro. Isso está sendo feito pela colaboração entre grandes empresas e empresas. Algumas empresas desenvolveram ferramentas, como o Chainalysis, que são cruciais na guerra contra a lavagem de dinheiro. De acordo com Eric Demuth, CEO da Bitpada, essas ferramentas ajudam na guerra contra a lavagem de dinheiro.

A Europol foi bem sucedida na luta contra o branqueamento de capitais, mesmo sem o uso de um sistema centralizado para bloquear todos os endereços proibidos. Algumas pessoas acham que o desenvolvimento de tal sistema não é necessário. Outras pessoas estão preocupadas com a necessidade de remover uma ferramenta importante, como o misturador de moedas, para combater a lavagem de dinheiro.

anterior "
Próximo »